Uma mulher foi presa por manter o filho de 14 anos, deficiente mental, acorrentado a uma rede dentro de casa, em Soure, no Arquipélago do Marajó.

A dona de casa teria acorrentado o filho porque iria fazer uma prova em um colégio local. Para evitar que o filho fosse para a rua a mulher resolveu amarrá-lo. O adolescente soltou-se e foi pedir ajuda aos policiais de plantão na delegacia de Soure.
Em fevereiro deste ano o padrasto do garoto teria abusado sexualmente dele.
A mãe e o padrasto estão presos à disposição da justiça, e o garoto foi encaminhado ao Conselho Tutelar.