Até maio deste ano, o Tribunal Regional Eleitoral do Pará – TRE-PA, por meio do projeto ‘TRE Cidadão’, vai levar atendimento itinerante a vários bairros da Região Metropolitana de Belém e em municípios do interior do estado (Cachoeira do Piriá, Nova Esperança do Piriá, Bujaru, Curuá, São Miguel do Guamá, Santa Luzia do Pará, Juruti, Maracanã, Salvaterra, São Francisco do Pará, Ananindeua e Castanhal ). Os serviços oferecidos à população são o alistamento eleitoral, revisão de dados, transferência, segunda via, regularização de títulos cancelados ou em débito e emissão de certidões.

Quem deseja tirar pela primeira vez o título de eleitor ou regularizar-se perante a Justiça Eleitoral, visando às eleições municipais de 2012, tem até o dia 09 de maio para requerer os respectivos serviços. A partir do dia 10 de maio, o cadastro nacional de eleitores ficará fechado para que se inicie a preparação das Eleições 2012.

As ações fazem parte dos objetivos estratégicos do TRE-PA, e têm como meta promover maior acesso à justiça eleitoral aos cidadãos em geral, sobretudo em locais de difícil acesso e em municípios que não possuam cartórios eleitorais. Só no ano de 2011, mais de 12 mil eleitores da capital e interior do estado foram atendidos por meio das ações do ‘TRE Cidadão’.

As ações do TRE Cidadão terão suporte do ‘Expresso Eleitoral’ – ônibus da Justiça Eleitoral que este mês ganhou novas instalações que proporcionarão mais conforto aos servidores e eleitores atendidos.

De acordo com o presidente do TRE-PA, Desembargador Ricardo Nunes, todos os serviços serão prestados por meio do atendimento online da Justiça Eleitoral, prestado via Internet 3G/Rádio, através de uma Rede Virtual Privada (VPN). A partir de abril deste ano, o TRE também passará a contar com a comunicação via satélite (VSAT) que permitirá o atendimento mesmo em localidades não cobertas por nenhum tipo de conexão com a internet.

“Com esta nova etapa de aperfeiçoamento tecnológico, que utiliza uma moderna infraestrutura de comunicação de dados (mediante a utilização de um certificado digital), garantiremos mais celeridade, segurança e, sobretudo, redução de custos”, reforça Ricardo Nunes.