O Tribunal de Justiça do Pará decidiu, ontem, pela aposentadoria compulsória do juiz Edílson Furtado Vieira. O magistrado foi denunciado à Corregedoria das Comarcas do Interior por ter praticado várias irregularidades na Comarca de Melgaço. A denúncia foi recebida pelo Conselho da Magistratura e encaminhada ao Pleno, que abriu Processo Administrativo (PAD) contra o magistrado. A desembargadora relatora do processo, Nazaré Gouveia dos Santos, após longa investigação, informou que ficou comprovada a culpa do juiz. O magistrado foi acusado de ter cometido abuso de poder; ingerência em assuntos do governo municipal e crime contra o patrimônio público.

Fonte: Diário do Pará