A belíssima e abandonada cidade de Curralinho/Marajó

Infelizmente os problemas e a falta de respeito com o usuário do sistema de saúde nos municipios marajoaras, não é caso isolado em SSBV, que por sinal só tem 1 médico que trabalha em condições precárias, sem estrutura e medicamentos.
O município de Curralinho vem sofrendo há muito tempo com a falta de sensibilidade dos gestores para um melhor atendimento à população que precisa de médico e hospital em pleno funcionamento.
Há mais de 10 dias sem médico na cidade, os pacientes estão se encaminhando para o município de Oeiras do Pará, pois, não confiam no atendimento feito por enfermeiros e técnicos.
E o que é pior, mesmo sem ter médico no municpioio, o hospital municipal está internando os pacientes com intuito de ser emitido o AIH (Autorização de Internação Hospitalar)
A AIH é o documento hábil para identificar o paciente e os serviços prestados sob regime de internação hospitalar e fornecer informações para o gerenciamento do Sistema.
É através deste documento que Hospitais, Profissionais e Serviços Auxiliares de Diagnose e Terapia – SADT se habilitarão a receber pelos serviços prestados. Ou seja, estão emitindo as tais AIH’s para que quando chegar um médico na cidade elas seriam assinadas por ele.
Com a palavra a secretária de saúde do municipio, Kátia Penalber…

Atualizado às 17:43 hs

Através do facebook a enfermeira Gisele Ferreira nos inform,a o seguinte:

 “Nosso município está sem médico há 6 dias; Os enfermeiros não estão fazendo nenhum tipo de procedimento complexo, como partos, suturas de grande porte, internações de pacientes;
Todos os pacientes que são atendidos no setor de urgência do Hospital passam por uma triagem, sendo encaminhados para os Municípios de Oeiras do Pará ou Breves caso haja necessidade, os demais são atendidos por profissionais capazes dentro das suas ESPECIALIDADES, e prontamente estejam com seus sinais e sintomas patológicos sanados, são liberados. Contamos ainda com o médicos de outros municípios no auxílio de alguns diagnósticos, evitando assim, quaisquer tipo de erros ou enganos para com o tratamento dos pacientes.

Obrigada, abraço”