O governo do Amapá apresentou, nesta segunda-feira, um plano para retirada do navio Anne Karolinne III, que naufragou no último dia 29, na região do Rio Jari, no sul do estado.

O procedimento, que ainda aguarda autorização da Marinha do Brasil, será realizado por uma empresa paraense contratada emergencialmente por meio de licitação. O serviço vai custar cerca de R$ 2,4 milhões aos cofres públicos.

A empresa responsável pela manobra já atuou em três operações similares. A última foi realizada em um acidente que provocou a queda de uma ponte, no Pará, no ano passado.

O secretário de Justiça e Segurança Pública do Amapá, coronel Carlos Souza, explica como vai funcionar cada etapa do processo de reflutuação da embarcação, que está a mais de doze metros de profundidade.

Ainda segundo o secretário, durante o processo de içamento do Anne Karolinne III as operações de resgate das vítimas ficarão suspensas, porque é esperado encontrar no interior do barco corpos que ainda estão desaparecidos.

Até a tarde desta segunda-feira, houve o resgate de 33 corpos. 51 pessoas foram resgatadas com vida. O Corpo de Bombeiros do Amapá não divulgou o número de desaparecidos.

O navio Anna Karolinne III saiu no dia 29 de fevereiro do município de Santana, no Amapá, com destino a Santarém, no oeste do Pará.

Fonte: Rádio Agência Nacional