Os estudantes da Universidade do Estado do Pará (Uepa) de Salvaterra protestaram, na manhã de ontem, contra as precárias condições do prédio onde funciona o núcleo universitário. Eles alegam que 90 alunos dispõem de apenas duas salas de aula e algumas turmas estariam tendo disciplinas conjuntas. Além das salas, há um espaço multímidia onde funciona, segundo os estudantes, a parte administrativa e a biblioteca. No campus, que funciona no espaço de uma escola agrotécnica, são ofertados os cursos de Biologia e Matemática.
O protesto teve apoio de estudantes do ensino médio do município. ‘Os alunos do ensino médio nos ajudam no recolhimento de assinaturas da população para confirmar a situação precária do núcleo da Uepa no município. Vamos marcar uma audiência com a Governadora do Pará, para entregar nosso ofício em mãos’, diz a estudante do 3º semestre de Biologia, Karina Vidal.
Os alunos também se preocupam com a informação que chegou ao município de que a Uepa de Salvaterra seria transferida para Soure, mas a informação foi tida como ‘improcedente’ pelo pró-reitor de Graduação da universidade, Neivaldo Oliveira. Segundo ele ‘é impensável a transferência do núcleo’.Quanto as condições do núcleo, Neivaldo afirma que ‘nos municípios de Igarapé-Açu e Salvaterra, a Uepa ainda funciona fora das devidas instalações’, mas garante que os projetos para construção de um novo espaço já estão prontos. Contudo, a verba necessária para construção não entrou no orçamento do Estado de 2009, já que o terreno para construção só foi doado este ano pela prefeitura.