Vários focos de peste suína clássica já mataram centenas de porcos em dois municípios da ilha do Marajó. A doença foi registrada desde a semana passada em criações domésticas, e também ataca porcos do mato, nos municípios de Chaves e Afuá, na divisa do Pará com o Estado do Amapá.
O problema é considerado grave para os criadores, pela grande possibilidade de se alastrar para outros municípios por causa das enchentes na região e das dificuldades de locomoção das equipes de uma propriedade a outra para combater a doença. Segundo o diretor técnico da Adepará, Sandro Lemanski, além do sistema rudimentar de criação, com animais soltos nos campos, nas áreas alagadiças de ocorrência dos focos o acesso é muito difícil para a realização dos procedimentos nas propriedades. Os animais infectados e os suscetíveis à doença precisam ser sacrificados.
Equipes de emergência sanitária formadas por médicos veterinários e técnicos da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) estão desde a quinta feira passada (16) na ilha tentando combater os focos da peste. O trabalho está sendo feito com apoio da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária do Amapá (Diagro), das Superintendências Federais de Agricultura do Pará (MAPA/SFA-PA) e do Amapá (MAPA / SFA – AP), da Polícia Militar, Prefeituras e Produtores locais.
FONTE: Amazônia Jornal