Extraído do Blog do Dário Pedrosa

Os últimos dias de movimentação de títulos no Cartório Eleitoral de Soure está provocando polêmica, pelo grande número de transferências que estão sendo registradas, principalmente de Salvaterra e Cachoeira do Arari.

Dizem que grande parte destes eleitores que solicitam transferência, estariam sendo motivados pelo Seguro Defeso que recebem com a facilitação de um certo político de Soure.
As informações dão conta que um recado circular transitou por Salvaterra e Cachoeira, levando a noticia de que todos os eleitores beneficiados com o Seguro Defeso, pelo esquema deste político, deveriam transferirem-se para votar em Soure, sob pena de perderem o beneficio no exercício seguinte.

O documento impetrado no MP, pelos partidos de Soure. Suspeita de fraude.
 A noticia se espalhou rápido e ninguém quis arriscar a graninha extra que recebe do Governo Federal todo ano. Agora quem está na bronca com o tal político manipulador são os pretensos candidatos de Salvaterra e Cachoeira do Arari. Eles perceberam que estão perdendo eleitores aos montes e isso pode influenciar no processo eleitoral em seus municípios, podendo tirar alguns candidatos da disputa.

Mas os partidos políticos de Soure não ficaram quietos não. Quatro deles cuidaram logo de entrar com uma Representação junto ao Ministério Público, solicitando a investigação da situação dos eleitores transferidos para Soure nestes últimos dias de atendimento.
Diz o documento “Representação Eleitoral com o objetivo de investigação eleitoral, sobre os pedidos de transferências de títulos de eleitor, protocolados neste cartório eleitoral, cujo prazo legal termina neste dia 09 de maio”. E continua dizendo “…pedidos estes, possivelmente sem atender aos critérios legais, principalmente quanto ao tempo de domicilio em nosso município”.
 O documento cita o aliciamento de eleitores como prática comum e que vem sendo combatida pelo Tribunal Eleitoral e foi elaborado pelo advogado Ricardo Corrêa e assinado pelos presidentes do PT, PMDB, PSB e PCdoB. Segundo o advogado a ação, se considerada pelo MP, poderá anular as transferências feitas.

NOTA DO BLOG

Criado em 2003 pelo presidente Lula, o seguro-defeso já enriqueceu muita gente por estas bandas.
No Pará, o PT sempre foi responsável por regular a emissão de carteiras e habilitar pescadores – ou falso pescadores – a receberem o seguro. Nove anos de muitas irregularidades e a SPA (sempre nas mãos de petistas – lembram do Chico da Pesca ? ) nada faz pra mudar esta prática lesiva… MPF e PF neles !