Pra minha eterna mocinha !

Ficou em mim
O gosto do beijo
O cheiro do corpo
A agressividade da hora
O falso da palavra
Ficou em mim
A fragilidade do gesto
E alguma esperança
Renasço
Quando passo
Por caminhos
Que nunca passei
Ou quando a lembrança
Me deixa encontrar
Por breves instantes
Estradas já percorridas
Com a ternura intensa dos sozinhos
A poesia me assalta
E me rouba para ti

São os últimos versos
O poema está completo
As coisas mais lindas que fui
Fazem parte dele
Poderia tentar mais
Para que este ultimo verso
Não fosse dito
Mas prefiro a perda
Única maneira
De te eternizar em mim

(Marcos Quinan)