Égua meu mano, falhei com vcs na semana passada, mas, agora damos proseguimento à série dos melhores da nossa música.

O andreense ( Santo André/SP) Kléber Albuquerque( foto)estreou, em 1997, com o CD 17.777.700, lançado pela Dabliú Discos e com direção artística de Mário Manga. Deste disco, a faixa “Barriga de Fora” ficou entre as vinte canções mais pedidas do ano pelos ouvintes da extinta Rádio Musical FM.
Seu segundo disco, Para a Inveja dos Tristes, lançado em 2000 pela mesma gravadora, contou com a participação especial de Fábio Jr., na faixa “Isopor”. Também em 2000, com “Xi, de Pirituba a Santo André”, Kléber foi um dos finalistas do Festival da Música Brasileira, promovido pela Rede Globo. Foi também finalista de muitos outros festivais. O mais importante aconteceu em 2001, quando a música “Logradouro” (parceria com Rafael Altério), conquistou o primeiro lugar no Festival de Avaré, um dos mais respeitados do país. Com a mesma composição, obteve também o segundo lugar no Circuito dos Festivais, realizado pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo e TV Cultura. Participou ainda do projeto Novos Nomes, realizado pelo SESC São Paulo e foi o cantor convidado para a abertura do show de comemoração à centésima apresentação de Zeca Baleiro.
No reveilon de 2001, gravou, juntamente com os compositores Élio Camalle, Luiz Gayotto e Madan, o álbum UmdoUmdoUm, o primeiro do milênio.
Em 2003, começou o ano com temporada do show Amanhã Vai Virar Hoje, no Teatro Crowne Plaza, que teve participação especial de Ceumar, Vanusa, Mirian Maria e Gero Camilo. Neste espetáculo trabalhou o lançamento de seu CD Faça Virar Música, um trabalho artesanal com capa feita de pano.
No mesmo ano, fez a direção musical e compôs a trilha para a peça Desmontando Uma Alma Boa (Cia. Teatraria Paraíso) e, em parceria com Gustavo Kurlat, para o espetáculo Crime e Castigo (Escola Livre de Teatro – Prefeitura de Santo André).
Veja vídeo abaixo: