A bela cidade de Muaná. 

A Polícia Civil prendeu, em cumprimento a mandado de prisão preventiva, nesta quarta-feira (31/11), Benedito Barrinha Rocha Miranda, acusado de estuprar uma idosa de 105 anos de idade, em Muaná, no arquipélago do Marajó, no Pará. A prisão é resultado de investigações realizadas pela equipe da Delegacia do município. A vítima é a pessoa mais idosa a ser estuprada no país. As investigações mostraram que o acusado se aproveitava do fato de a vítima ser portadora do Mal de Alzheimer (doença neurodegenerativa caracterizada pela perda de memória a curto prazo) para cometer os abusos sexuais.
 De acordo com o delegado Guilherme Gonçalves, titular da Delegacia de Muaná, as investigações tiveram início ainda este ano, após a equipe policial tomar conhecimento do crime. A vítima – mãe da companheira do acusado – passava os dias em uma rede, em sua casa, onde recebia os cuidados especiais de sua filha. “Ele procurava ficar a sós com a idosa para cometer o delito. O acusado retirava a idosa da rede onde ela permanecia deitada e depois tirava-lhe as vestes para consumar o crime sexual”, explica o policial civil.
 Os crimes sexuais vinham ocorrendo ao longo do ano. “A idosa não dispunha da plenitude de suas funções cognitivas, não mais se locomovendo e estava completamente cega”, detalha. Por essa razão, o crime está caracterizado como estupro de pessoa vulnerável. Com a denúncia do crime, o delegado passou a investigar os fatos.
 A vítima passou por exames médicos e periciais. “Os peritos responsáveis pela realização dos exames constataram as violações sofridas pela idosa”, enfatizou o delegado. Com base nas provas, o policial civil requereu à Justiça do município a prisão preventiva de Benedito Miranda, que vai ficar recolhido à disposição da Justiça para responder pelo crime.

Fonte: Policia Civil