Em 18 meses, todo o arquipélago do Marajó terá energia firme. O anseio histórico da população marajoara se transformou em um compromisso do Governo Popular e no próximo dia 25 de setembro, em Portel, a governadora Ana Júlia Carepa lançará a pedra fundamental do projeto que vai levar energia elétrica a todo o arquipélago, a partir da hidrelétrica de Tucuruí.
A ação estruturante vai abranger 15 dos 16 municípios marajoaras. Só Gurupá, na fronteira do Marajó, será beneficiado com outra linha, a partir de Vitória do Xingu, cuja subestação ainda está em construção.
O secretário de Estado de Integração Regional, André Farias, explica que a energia para o Marajó virá de uma localidade em Cametá, no Tocantins, chamada Parada do Bento, onde será feita uma conexão com Portel, depois com Breves, Bagre, Melgaço e Curralinho. Farias informou que o contrato já foi assinado com os fornecedores de equipamento e materiais dessas subestações e linhas de transmissão, bem como para a construção das subestações e linhas de transmissões. “Os estudos ambientais, a topografia e o projeto civil estão em andamento. O traçado das linhas já foi definido e os terrenos das subestações já foram adquiridos”, informou.
O investimento é de R$ 100 milhões, de recursos federais, mas o secretário afiança que a energia deve-se à perseverança do povo do Marajó e à desenvoltura da governadora Ana Júlia Carepa no setor enegético. “A governadora conhece bem o sistema nacional de energia. Quando senadora, discutiu o sistema de energia elétrica do País, apresentou um projeto de royalties sobre mineração, tem uma afinidade muito grande com a ministra Dilma Roussef, que já foi ministra de Minas e Energia e desde então acompanha a luta da população do Marajó. Em junho de 2007, Ana Júlia assinou um termo de compromisso com o presidente Lula para construir essa obra, que faz parte do Plano de Desenvolvimento do Marajó. E agora é realidade”, assinalou.

Com informações da ParaRadio