O Ministério das Comunicações autorizou o uso de rádiofrequencias para associações de Breves e Gurupá, no marajó. Todas já são detentoras de outorga para funcionamento de rádio comunitária.
Só é preciso agora o ministério fazer uma fiscalização em cima das irregularidades cometidas pela maioria das rádios comunitárias que atuam no marajó. O uso do “proselitismo” (religioso ou político) é uma das atrocidades cometidas pela direção destas rádios.