Vencedor de diversos prêmios nacionais e internacionais, pelo jornalismo sério, combativo e honesto, e por isso mesmo deflagrando a ira de interesses poderosos e escusos, que usam os bandidos de toga da Justiça do Pará com a intenção de calá-lo, mas não é a sua voz que querem calar, mas por consequência a nossa! Vamos ajudar nosso patrimônio do verdadeiro jornalismo e da decência que falta na maior parte dos tribunais Paraenses!

TERÇA-FEIRA, 14 DE FEVEREIRO DE 2012

Lúcio Flávio é condenado a indenizar grileiro. Precisamos ajudar:

“Preciso, mais do que nunca, do apoio das pessoas de bem. Primeiro para divulgar essas iniqüidades, que cerceiam o livre direito de informar e ser informado, facilitando o trabalho dos que manipulam a opinião pública conforme seus interesses escusos. Em segundo lugar, para arcar com o custo da indenização. Infelizmente, no Pará, chamar o grileiro de grileiro é crime, passível de punição. Se o guardião da lei é conivente, temos que apelar para o samba no qual Chico Buarque grita: chame o ladrão, chame o ladrão. Quem quiser me ajudar pode depositar qualquer quantia na conta 22.108-2 da agência 3024-4 do Banco do Brasil, conta poupança, variação 1, Em nome do meu querido irmão Pedro Carlos de Faria Pinto”

(Lúcio Flávio Pinto).

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Está na hora, e já passou da hora, de os jornalistas paraenses se informarem melhor do que vem acontecendo há muitos anos com o jornalista Lúcio Flávio Pinto, especialmente a partir de setores do judiciário, conforme ele relata aqui. Por enquanto, trata-se de um caso aparentemente específico, vitimando uma pessoa, mas não há dúvida de que se trata de um balão de ensaio para voos mais altos a partir daqueles detentores do poder que não aceitam a liberdade de expressão, temendo mexer nos seus calos antidemocráticos e anti-éticos.

Se não abrirmos os olhos hoje, quem garante que amanhã não será você, eu, jornalistas de quaisquer mídias e mesmo modestos blogueiros que ousam apontar o dedo para toda sorte de indivíduos que se apossam dos meios públicos para satisfazer as suas ambições pessoais? Alguns jornalistas blogueiros do Pará já foram “avisados”, em outros casos, de que mexer com os poderosos é um risco. O risco mesmo é aceitar esse jogo, que mina as instituições democráticas e impede o desenvolvimento do Pará e da Amazônia.

O que esse sistema pretende é calar as poucas vozes que se levantam contra o roubo dos bens públicos que tanta falta fazem a milhões de paraenses em geral e aos belenenses, em particular, que vivem dentro da lama das baixadas imundas, enquanto os bacanas fazem a festa deles. Está na hora de uma ação coletiva. Depois, será tarde demais.

A seguir, vai uma nota do Lúcio Flávio, produzida por ele hoje, dando detalhes da negativa ao recurso que o jornalista encaminhou ao superior Tribunal de Justiça, confirmando que Lúcio deve indenizar a CR Almeida, reconhecida como empresa grileira de imensa área de terras no Pará. Com que dinheiro? Precisamos agir.

(Texto do jornalista Manuel Dutra)

Continue lendo aqui