Linhão de Transmissão do Marajó começa a ser energizado


A partir deste sábado (30), o Arquipélago do Marajó começará a ser conectado ao Sistema Interligado de Nacional (SIN). A energização de parte do novo Linhão de Transmissão irá atender as subestações de Tucuruí, Cametá e Parada do Bento, nos municípios de Tucuruí, Cametá e Baião. A etapa integra parte da primeira fase da obra, que tem na programação um desligamento nos respectivos municípios (6h às 7h, em Tucuruí, e 6h às 12h, em Cametá) com o objetivo de realizar esta interligação.
A atual linha de transmissão de 69kV, existente em Cametá, será trocada por uma de 138kV, visando o atendimento com melhor qualidade. No próximo mês será a vez de Portel receber a interligação e, em junho, Breves. O projeto de integração do Arquipélago do Marajó ao Sistema Interligado Nacional está dividido em duas etapas.
No segundo semestre deste ano, a primeira fase será concluída, com a integração dos municípios de Portel a Melgaço e Curralinho e Breves a Bagre. Na segunda etapa, ainda em fase de projeto, serão desativadas as usinas de Anajás, Afuá, Chaves, Cachoeira do Arari, Ponta de Pedras, Santa Cruz do Arari, Soure, Salvaterra, Muaná e São Sebastião da Boa Vista.
As obras incluem a construção de novas subestações, eletrificação de loteamentos e a construção de novas linhas de transmissão. Um dos pontos positivos é a redução na utilização de dieselétricas. Isso impacta não somente na questão ambiental, mas também na redução de encargos na conta de energia, como no recolhimento da Conta de Consumo de Combustíveis (CCC), estabelecido pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). A agência considera que o encargo, que serve para subsidiar o fornecimento de energia em áreas não conectadas ao sistema nacional de transmissão, deverá atingir o montante de R$ 5,5 bilhões em 2011.
A estimativa da Aneel para este ano leva em consideração as premissas estabelecidas pela lei 12.111 de 2009 e o decreto 7.246 de 2010. A conta de combustível considera especialmente o uso de termelétricas dos Sistemas Isolados, que geram energia a custos elevados. Com este encargo, os consumidores de todo o país, conectados ao Sistema Interligado Nacional, reembolsam, principalmente, as concessionárias do sistema Eletrobras, localizadas na região Norte. Este reembolso também beneficia os agentes que atuam em áreas isoladas como a ilha de Fernando de Noronha (PE).
Os recursos da CCC são administrados pela Eletrobrás. O papel da Aneel é fixar os valores das cotas anuais da conta de consumo de combustíveis, recolhidas mensalmente nas contas de luz pelas distribuidoras de energia elétrica

Fonte: Celpa /Portal ORM