O Ministério Público do Estado do Pará protocolou ação civil pública por improbidade administrativa contra Paulo Fernando Macieira Peixoto, ordenador de despesas da prefeitura de Soure durante o exercício financeiro de 1997.
Condenações por improbidade administrativa podem implicar em suspensão dos direitos políticos, perda da função pública, indisponibilidade dos bens e ressarcimento ao erário.