Concentração do bloco na Av. Victor Engenhard (Foto: Paulo Cordeiro/MOL)

Com muita alegria, irreverência e animação, o tradicional desfile do bloco “Vaca Atola” pelas ruas de Salvaterra, abriu e ao mesmo tempo fechou o Carnaval da cidade. Completando mais um ano de existência, o bloco levou para as ruas da “Princesinha do Marajó” milhares de foliões que estavam sedentos por folia na cidade.

Concentração do bloco na Av. Victor Engenhard (Foto: Paulo Cordeiro/MOL)
O carnaval que em muitas cidades já havia começado desde a sexta-feira, em Salvaterra só veio ter o seu o seu gostinho, nesta terça-feira gorda de carnaval, com o bloco “Vaca Atola” que reuniu famílias e amigos em um carnaval tradicional, com direito a banda de música tocando as velhas marchinhas de carnaval. O bloco contou ainda com um carro som que tocava musicas variadas.
Este ano, o bloco teve um público superior ao ano de 2011, com uma multidão que ia aumentando a cada esquina por onde passava, tomando conta das ruas de Salvaterra. Já na terceira rua, o bloco se dividiu em dois, com uma parte da multidão seguindo na frente junto com a banda musical da vila de Jubim e logo atrás o restante dos brincantes em maior número vindo ao lado do carro som.
Pessoas que participaram do bloco elogiaram a animação do “Vaca Atolada”. “Este ano o bloco esta melhor que o ano passado, mais pessoas acompanharam e a animação foi maior”, comenta brincante que esteve até o final do percurso.
Saindo da Av. Victor Engenhard, o bloco percorreu ainda as ruas Georgete Sales Couto (6ª rua), 1ª travessa, 8ª rua, Travessa Paulo Ribeiro, Rod PA 154, 5ª Rua, 3ª rua, Av. Victor Engenhard até chegar à Praça Magalhães Barata.
Muitas figuras fizeram parte desse carnaval, o destaque foi o “Batman” fantasia escolhida este ano, pelo pintor “De Rocha” que ano passado tinha saído de “Homem Aranha” sendo ganhador do prêmio de melhor fantasia. Este ano o prêmio de mil reais foi dividido para três fantasiados entre eles o “Batman”.
O “Vaca atolada” é um bloco sem fins lucrativos e é o resultado de reunião de vários amigos buscando promoverem o carnaval em Salvaterra, que há muito tempo está esquecido. O bloco apesar de ter se tornado uma referência no carnaval salvaterrense nunca teve o apoio da prefeitura local, mostrando que com um pouco de boa vontade, o povo undo pode fazer a festa.