A Caravana Pro Paz Presença Viva encerra a incursão pelo arquipélago marajoara com um numero recorde de atendimentos. Durante 90 dias as equipes percorreram 17 municípios e realizaram mais de 800 mil procedimentos e atendimentos. A etapa Marajó encerrou neste domingo, 6, na cidade de Soure.
No próximo dia 13 a Caravana dá inicio a ação itinerante pelo Baixo Amazonas e o primeiro município a receber as equipes será Almeirim.

Somente em Soure foram mais 25 mil atendimentos. A maior demanda, a exemplo dos outros municípios já visitados, foi pelo atendimento oftalmológico. A média diária registrada foi de 400 consultas, com quase cinco mil procedimentos contabilizados.
Neste domingo, em razão do deslocamento das equipes para Belém, o serviço foi no início da tarde, com a oferta de 300 consultas. As fichas foram distribuídas na noite de sábado, facilitando o atendimento na manhã.  Maria de Fátima dos Santos, 59 anos,foi uma das primeiras pessoas atendidas neste ultimo dia de ação no município. A procura foi pelo serviço de Oftalmologia. Sentindo fortes de dores de cabeça e dificuldade para enxergar, a dona de casa voltou para casa com óculos novos.
“Eu tinha um óculos mas era muito antigo, não servia mais. Como não tinha condições de comprar outro, aproveitei essa oportunidade”, disse.
 Alguns pacientes terão que esperar por lentes e armações novas. Todas as prescrições com grau acima de 2,5 serão encaminhadas para a confecção na capital. O controle será feito pela Ação Social Integrada ao Palácio do Governo (Asipag).
 Desde o inicio da Caravana, a Asipag atendeu 2.700 pedidos de óculos. Além das lentes, a Ação também esta concedendo cadeiras de rodas, somando até Soure mais de 380 unidades entregues. “Atendemos com êxito a demanda que chegou até nós. Infelizmente algumas pessoas não conseguiram chegar a tempo do atendimento ou estavam com a documentação incompleta”, observa o coordenador da Asipag na Caravana, Antonio Braga.

Outro serviço bastante demandado no município foram as consultas em Clínica Médica, que somaram 600 atendimentos. Alguns casos foram encaminhados para continuidade do tratamento na capital. “Esses casos serão acompanhados pelo Serviço de Regulação da Sespa, em razão da Caravana não realizar certos tipos exames e nem ofertar determinadas especialidades”, explica Selma Ferreira, coordenadora do Programa Presença Viva.

Foi o caso do aposentado Nestor Silva de Jesus, de 60 anos, que há mais de cinco anos não se consultava com um médico. Diagnosticado com glaucoma, ele terá que ir a Belém para continuar o tratamento. “A gente não tem muito acesso a este tipo de serviço aqui no município e também não temos condições financeiras de ir para a capital sem a certeza de atendimento. Agora eu vou com tudo encaminhado. Estou muito agradecido”, comemora.

A população de Soure foi beneficiada, ainda, com 407 consultas na Clinica Pediátrica, 300 na Ginecologia, 150 na Cardiologia e 350 consultas odontológicas.
O Programa Presença Viva também ofertou mais de 200 doses de vacinas (tríplice, hepatite B, gripe e poliomelite), além da realização de mais de 700 exames no Laboratório Central (HIV, hepatites virais, hemogramas, glicemia, colesterol, Preventivo do Câncer de Colo de Útero e próstata).

Documentos – A emissão de documentos também bateu recordes no município. A procura maior foi pela carteira de identidade, com a confecção de aproximadamente 1,2 mil documentos em três dias de ação. A demanda pelo Cadastro de Pessoa Física (CPF) também foi alta, totalizando cerca de 600 documentos.
Outro serviço ofertado pela Caravana foi a emissão da primeira e segunda vias do registro civil.

Ainda no setor de emissão de documentos foram entregues quase 400 carteiras de trabalho, a maioria para pessoas jovens. “Temos uma agência do Ministério do Trabalho e por isso a demanda foi menor que nos demais municípios por onde a Caravana passou”, explica o representante do Ministério do Trabalho na Caravana, José Magalhães.

Defesa Civil – A Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros acompanharam as ações da Caravana Pro Paz Cidadania Presença Viva ofertando palestras sobre primeiros-socorros, além do trabalho junto às autoridades locais para a parceria no atendimento das famílias vitimas das cheias, estiagem e erosão. O trabalho contou com o apoio de três militares da Defesa Civil e quatro do Corpo de Bombeiros.

No município de Salvaterra, três famílias foram notificadas e deslocadas de suas residências em razão do risco de desabamento.
Os imóveis estavam com suas estruturas totalmente condenadas. Em Soure não foram registradas ocorrências graves. “Tivemos uma reunião com representantes do poder local com o objetivo de firmar uma parceria para a criação de coordenadoria da Defesa Civil no município, que irá atender também as cidade vizinhas”, explica o sub tenente João Guerreiro.

Fonte: http://agenciapara.com.br/noticia.asp?id_ver=98817