Em tumulto ocorrido na Câmara Municipal de Breves vários professores foram agredidos fisicamente e com spray de pimenta e bala de borracha pelo Grupo Tático de Operações da Polícia Militar do Pará.  Os atingidos foram Gilney Sales (tiro de bala de borracha), Fabio Paes (spray de pimenta e agressão física), Werley Bruno (spray de pimenta), Francisco Evangelista (spray de pimenta) e Francisco Furtado (spray de pimenta).
O tumulto ocorreu durante a manifestação dos trabalhadores em Educação por ocasião da votação dos vetos do prefeito Toninho Barbosa (MDB) apostos à lei municipal n° 2.602/2017.
Os vetos causarão um prejuízo salarial na ordem de cerca de 45% no contracheque dos servidores. Como a sessão foi interrompida devido ao tumulto, vários vereadores se refugiaram no gabinete do presidente da Casa e, na saída dos parlamentares o incidente aconteceu, mesmo que os professores estivessem fazendo a escolha dos vereadores para que estes não sofressem agressões dos presentes. Após, o tumulto, o prédio da Câmara foi ocupado pela categoria permanecendo até agora neste estado. Uma passeata pelas ruas da cidade foi realizada no sentido de pressionar o prefeito e secretário de Educação a reverem a atitude nociva à carreira dos servidores.
Neste momento, s servidores agredidos estão na Superintendência de Polícia Civil para as providências cabíveis e, mais tarde seguirão ao Comando de Policiamento Regional a fim de registrarem denúncia contra o Tenente Felipe Lopes por agressão aos manifestantes.

Fonte: SINTEPP BREVS