O estado do Amapá já lidera no país a proporção de infectados em relação ao número de habitantes. Em reunião realizada nessa quinta-feira (30), para discutir a situação do Amapá quanto à Covid-19, representantes do estado disseram que temem o colapso no sistema de saúde em poucas semanas.

Até esta quinta-feira, a Secretaria de Saúde do Amapá, registrou 64 novos casos: 38 em Macapá, 4 em Santana, 14 em Laranjal do Jari, 1 em Mazagão, 3 em Pedra Branca do Amapari, 1 em Porto Grande, 1 em Serra do Navio, e 2 em Vitória do Jari. O total no estado chega a 1.080 casos, com 34 mortos.

A expectativa é que, até meados de maio, o estado da região norte tenha cerca de 2,7 mil casos confirmados da doença. Por enquanto, 1.941 casos suspeitos ainda estão em análise laboratorial.

O Superintendente da Vigilância em Saúde do Amapá, Dorinaldo Malafaia, falou sobre essa preocupação na reunião virtual promovida pela comissão externa da Câmara dos Deputados, que analisa sugestões de ações contra o novo coronavírus.

O Amapá possui 49 leitos de UTI destinados à Covid, mas, segundo o secretário estadual de Saúde, João Bittencourt da Silva, a grande dificuldade é o abastecimento de medicamentos em um estado servido por poucos voos. Outro problema é a falta de profissionais da saúde.

A deputada Patrícia Ferraz, do Podemos do Amapá, explicou que a comissão tem feito relatórios e enviado ao Ministério da Saúde para que a pasta possa socorrer os estados mais necessitados.

O deputado Camilo Capiberibe, do PSB do estado, fez diversas cobranças e pediu que o Senado aprove a ajuda financeira da União a estados, Distrito Federal e municípios, para compensar a queda de arrecadação do ICMS e do ISS, neste ano, em razão da pandemia da Covid-19. A ajuda já foi aprovada pela Câmara.

 

Fonte: EBC