A Associação dos Municípios do Arquipélago do Marajó, que é presidida pelo prefeito de Portel, Pedro Barbosa(foto), reuniu com a Defensoria Pública Federal para requerer a disponibilização de médicos para o arquipélago, assim como, um curso de medicina no Marajó

Médicos cubanos seriam a solução para o problema, mas para terem seus diplomas validados pela UFPA, é preciso que os mesmos façam duas disciplinas: Doenças Tropicais e SUS.
Não existe a garantia de que profissionais formados em campi no marajó, irão trabalhar no arquipélago. O povo marajoara precisa de politicas públicas mais eficazes, discutir ações para a solução destas demandas´por médicos a longo prazo, é condenar este povo a mais 10 anos de abandono na área de saúde.