Agência Pará de Notícias

Água limpa e abundante fez a alegria das crianças da comunidade de Jubim, em Salvaterra, município do Arquipélago do Marajó. A alegria dos pequenos contagiou também as cerca de 600 famílias beneficiadas com o novo sistema de abastecimento de água, concluído no início deste mês.
O investimento de R$ 200 mil faz parte do Programa Água para Todos, coordenado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Regional (Sedurb), e resulta do Planejamento Territorial Participativo (PTP).
Além da ampliação do sistema de abastecimento, que agora conta com 80 novas ligações de água, Salvaterra elegeu como prioridades no PTP a construção de quatro vicinais (equivalentes a 5 quilômetros de asfaltamento) e de um muro de arrimo em concreto, na orla da Praia Grande, situada na sede do município. As duas obras estão sendo executadas pela Secretaria de Estado de Transportes (Setran), que já entregou algumas vicinais,incluindo uma via de acesso à comunidade quilombola de Mangabal.

O sistema antigo de abastecimento de água atendia cerca de 150 famílias em Salvaterra. “O microsistema de abastecimento foi reformado e outro foi construído”, explicou Niercio Bastos, conselheiro do PTP e integrante da comissão de fiscalização das obras. O novo sistema atende em especial as vilas de Jubim e Joanes.
As obras em Salvaterra, iniciadas em setembro de 2008, foram fiscalizadas pelos conselheiros do PTP e gerenciadas pela Sedurb, que fará em breve a entrega oficial à população.
Melhor da região – Os moradores já usufruem dos benefícios do novo abastecimento, como a pescadora Jacira Bastos, 42 anos, quatro filhos e 11 netos, membro de uma das famílias tradicionais da região. Ela, que enfrentou as dificuldades anteriores, mora com os parentes próximo ao local onde foi instalado o novo sistema de abastecimento.
“Para nós, da Terceira e Quarta Ruas, nem vinha água, só pingava, principalmente nesta época. A gente tinha que encher balde para poder lavar a roupa, a casa… Agora temos essa água, que é a melhor da região, e dá até para beber direto da torneira”, disse Jacira.
“Antes era bem fraquinha. Chuveiro, nem pensar! Banho, só na cuia”, relembrou a também pescadora Rosicléia da Silva, filha de Jacira e mãe de quatro filhos. Em Jubim, a dona de casa Maria Barbosa, 55 anos, disse estar “satisfeita” com a melhoria no abastecimento.
A cozinheira Edna dos Santos, moradora da comunidade de Cururu, no balneário de Água Boa, afirmou já ter visto este ano a diferença, principalmente no período de estiagem, quando o abastecimento piorava. “Caminhava meia hora com o balde na cabeça para pegar água em um igarapé. Hoje, o pessoal tem água própria nas casas e vamos no igarapé só para diversão”, afirmou.
Milhares de pessoas que passaram décadas consumindo água de má qualidade ou percorrendo longas distâncias em busca de água potável têm sido beneficiadas pelo “Água para Todos”.
O programa estadual entregou ano passado 23 obras de infraestrutura, e a previsão é implantar mais 200 mil novas ligações de água no Pará até 2010. Esse é um dos pilares do novo modelo de desenvolvimento implantado pelo governo do Estado, que prioriza ações destinadas a melhorar a qualidade de vida da população.
Atrativos – O orçamento de R$ 900 mil para as obras na orla de Salvaterra foi definido durante as plenárias do PTP. A previsão de entrega da primeira fase é 120 dias, prazo em que serão reconstruídos cerca de 350 metros de orla.
Famoso pelas belezas naturais, o Arquipélago do Marajó atrai turistas de todo o mundo. Salvaterra é considerado o portal de entrada do Marajó, que tem como principal acesso o porto de Camará. Para quem sai da capital paraense pela Vila de Icoaraci, a viagem de balsa dura em média três horas, dependendo da maré.
No município banhado pela Baía do Guajará e pelo Oceano Atlântico, as maiores vilas são Jubim, Joanes e Condeixa, esta última famosa pela produção de abacaxi, uma das principais fontes de renda local, além dos produtos derivados do búfalo, como o famoso queijo do Marajó.
Entre os atrativos de Salvaterra estão praias, fazendas e igarapés, com destaque para as praias Grande, na sede do município, e a de Joanes, distante 10 quilômetros da sede. Em Joanes, um dos pontos turísticos são as ruínas Jesuítas, que datam do século XVII e estão localizadas na Praia do Farol.
Texto: Luciane FiuzaSecom