Dez famílias ribeirinhas de São Sebastião da Boa Vista, no Marajó, receberam, no começo de julho, mais de R$ 10 mil cada uma para aplicar no manejo de açaizais nativos. Os recursos da linha Floresta, do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), foram repassados com o intermédio do escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) e do Banco da Amazônia. Foi o primeiro lote de Pronaf Floresta liberado no município.
 “Nossos projetos direcionam o manejo sustentável dos açaizais, com o aproveitamento de essências florestais já existentes, como andiroba e ucuúba, ou mesmo o replantio delas. A idéia é preservar o ecossistema original e enriquecer a nutrição e outros aspectos das palmeiras de açaí”, explica a chefe do escritório local da Emater, a técnica em agropecuária Bruna Paula Santos.
 Também pescadoras artesanais, as famílias, atendidas pela Emater em média há dez anos, costumavam desmatar as áreas onde se localizam os açaizeiros, transformando a paisagem em monocultura. A presença de demais espécies, porém, não só mantém a saúde do solo, como protege o açaí de pragas e doenças – que, na ausência de outras árvores, às vezes seu habitat típico, acabam migrando para as palmeiras.
 As famílias agora beneficiadas representam três comunidades: Santa Izabel e Boa Esperança, às margens do rio Guajará, e Rio Pracaúba Grande. O contrato individual do Pronaf Floresta diz respeito a três hectares. O dinheiro será usado na limpeza da área, desbaste das toiceiras e compra de equipamentos, como bota, lona e basqueta (recipiente).

Fonte: Agência Pará